quarta-feira, 23 de julho de 2008

Por que NÃO assistir ao Batman...

... ou a qualquer outro filme no Shopping Higienópolis durante as férias.

Esse figurino humilha o do Homem de capa

* Eu adorei o filme do Batman. De verdade. E isso parece uma frase "ai, não me diga", mas há algum tempo eu nem teria ido ver esse filme no cinema. Não curto filmes de super-heróis (sorry), só vi o primeiro Batman, o primeiro Homem-Aranha, o último James Bond, meia temporada do 24H e nunca vi um episódio do Arquivo X. Tenho problemas com "personagens recorrentes" em filmes/séries de ação, se isso explica alguma coisa. Odeio ver uma seqüência de 50 minutos com o Jack Bauer fugindo de um terrorista qualquer sabendo que ele NÃO vai morrer no final. Sono mortal.

* Mas ok. Explicação dada, não preciso nem dizer que sempre torço para qualquer vilão de qualquer filme/série de ação ganhar. Viva o Sylar. E o Benjamin Linus. E o Joker.

* Voltando ao Shopping Higienópolis. Só fiz a introdução para mostrar que, já era um graaande e doloroso passo eu ter ido até o cinema ver um filme de super-herói. Um passo maior ainda, fingir que nem ligava quando a capa dele voava tão perto do pneu daquela moto a 500 km/h. "Coisa de herói", pensava. E vamos combinar que um super-herói coxinha & sem super-poderes e um James Bond para mim são a mesma coisa. Só que o James Bond tem sempre uma Bond Girl bonitona por perto e consegue falar sem parecer que tem câncer na língua.

* Voltando ao Shopping Higienópolis. Lá fui eu. Segunda-feira à tarde, achei que estaria vazio. Nada. A fila dava volta na escada rolante. E agora sim, este post começa:

--> No Shopping Higienópolis você paga quase $20 reais para ir ao cinema. Eu não reclamaria disso, até porque eu sempre soube e continuo indo. Difícil é você pagar quase-vintão e agüentar:

1- Todas as salas do colegial e do ginásio (não sei as novas denominações para isso) dos colégios Rio Branco e SION em férias na fila. Um deles berrou "TCHI-CHER!" com voz de arroto quando me viu.

2- A furação de fila. Cada adolescente em férias estava comprando ingresso para mais 5 amigos de férias, que traziam outros três.

3- Quase uma hora antes, a fila para entrar na sala já dava a volta na outra escada rolante.

4- Decido esperar 2 amigos e quando entramos na sala, só nos restavam as poltronas da frente. O certo é focar na saliva do Coringa e desencanar da legenda.

5- Meia hora de trailers e propagandas. Richard Gere em mais uma historinha de amor para mulheres acima de 30, Arquivo X em mais um episódio prolongado, Adam Sandler fazendo um terrorista que quer virar o Jassa, e zzz.

6- Pipocas ensurdecedoras. O barulho da pipoca no Cinemark é Dolby Surround Sound System, não é possível. Comam de boca fechada, gente, por-fa-vor.

7- Muitas mães com muitas crianças que não SABEM LER. Isso merece multa "a nível de" multa Lei Seca. Você levar seu filho que não sabe ler a um filme legendado é a mesma imbecilidade que larga-lo em frente à TV. Então não tire seu filho da frente da Sônia Abrãao para me azucrinar lendo as legendas para ele no cinema. Por favor. Não tem babá? Sorry, fique em casa.

8- O que passa na cabeça das pessoas que chegam 40 minutos depois que o filme começa? E ainda dando risada? O que dá na cabeça do Cinemark de deixar pessoas que chegam 20 min antes do filme ACABAR entrarem? Uma senhora vovó chegou com uma netinha (que também não sabia ler) 20 minutos antes da cena final e se instalou na escada ao meu lado. De tão brava, não me ofereci para pular uma poltrona e dar lugar a ela. Aliás, não pulo poltrona, nem adianta pedir. Mas enfim, a senhora. A neta ficou brincando com um canudo do McDonalds e nem sabia onde estava. Só reagiu quando viu a cara do Duas-Caras (é esse mesmo o nome?). "Eeeeeeeeew credo!", ela disse. Nem ficou com medo. O que nos leva a repensar na eficácia da maquiagem do Duas Caras. Ela também riu do Coringa.

9- Na saída, o banheiro estava fechado e uma procissão se encaminhou rapidamente ao andar de baixo. Sem feridos.

* Quando fui assistir ao único filme do James Bond que vi na vida, no Espaço Unibanco do Frei Caneca em pleno "feriadão de Ano Novo", um pai levou uma criança com ele. O menino pentelho sentou no colo do pai, atrás de mim. Em uma das cenas brabas de tortura, o pai vira e fala pro moleque: "não olhe agora". O menino não só tampa os olhos, como fica fazendo um barulho tipo "nããnãnãnãnã" para não ouvir os gritos do James Que Não Morre Nem Sob Tortura Bond. Depois disso, a criança passou o resto do filme jogando game boy. Com áudio.

* QUERIDOS PAIS: se no cartaz estiver escrito "para maiores de 12 anos", arranjem uma babá e deixem os filhos em casa. E quando eles crescerem, ensinem que, na vida real, come-se de boca fechada (mesmo que as novelas ensinem o contrário). E lembrem-se: se você não consegue ser pontual para uma sessão de cinema no meio da tarde, não exija que seu filho o seja às 6 da manhã. Ah! E filmes com legendas não devem ser dublados por vocês. Há gente mais capacitada - e com sindicato atuante - para isso.

* Depois ainda reclamam que a gente compra filme pirata.

17 comentários:

Hoffmann disse...

Ah, concordo com os pais imbecis que levam as crianças e ficam traduzindo o filme simultaneamente. Ir ao cinema se tornou um exercício de paciência!

Tiago disse...

Visão do inferno, isso. Perto dessa sessão de cinema, as maldades do Coringa são piadinhas bobas. Deve ter colocado o filme numa outra perspectiva.

Rick Fire disse...

mandou bemzão Bean!!
Valeu pela dica... anotadissima!!

Bons Fluidos

mj-coffeeholick disse...

moro do lado desse shopping , parede com parede e tudo que foi relatado é a mais pura verdade ... felizmente sou mãe de 3 meninas que comem de boca fechada se comportam super bem e só levo pra ver filme dublado eu mesma vi o homem aranha inteiro em portuges, pra n gerar esse tipo de situação mesmo todas elas sabendo ler, ensino que n se deve por pé na poltrona da frente, nem falar alto e elas ate me lembram antes mesmo de entrar que preciso desligar o celular, esse mundo ta perdido com essas geração criada por si só que acha que pode tudo e encher o saco dos outros é divertido ...

Muito bom o post !

Anônimo disse...

Obrigada.Tudo o que vc escreveu eu também penso.
O seu post lavou minha alma.
Abaixo os dubladores de plantão......

Anônimo disse...

Oi Bean!
Adorei, é isso mesmo. Cinema nas férias não dá.

elisacolepicolo disse...

Qdo eu tinha 17 anos fui barrada no cinemark do pátio higienópolis (que tinha acabado de inaugurar) num filme censura 18. O que será que aconteceu pra mudar a postura deles?

Fui assistir ao Batman no cinemark do Botafogo Praia Shopping, aqui no Rio, ontem, às 18h30. Também era quase uma sessão infanto-juvenil, mas eles se comportaram bem até. O que ajuda por aqui (não sei se vai acontecer por aí) é a história de cadeiras numeradas. Diminuiu taaaanto a balbúrdia!...

Bjo.

Bean disse...

haha
obrigada pelo apoio, pessoas que sofrem no cinema! E o Tiago tem razão: vi o filme com outra perspectiva, achando que o Coringa tinha toda a razão do mundo p/ ter ódio no coração. =))
Não sei se esse lance de cadeira numerada funcionaria aqui, viu. Eles já pedem pra vc - que chegou com uma hora de antecedência - mudar de lugar pra ficarem abraçando a namorada!
Acho difícil respeitarem, mas se vc diz que no Rio deu certo, por que não?

frufru disse...

menina, eu acho que tu é louca de ir nessa sessão.
eu não consigo nem rir da desgraça, fico irritadíssima de verdade, acabo perdendo o filme de tanto jogar praga pras sete gerações de todo mundo da sala. :S

eu fui ver no frei caneca à noite. lotadíssimo, mas pelo menos eram adultos civilizados. :)

Paula disse...

Gente, odeio o Cinemark!!!! Eu já tive que aturar um cara passando fio dental nos dentes!!!! Nojento! E crianças nem me fala...já passei horrores com elas.

Anônimo disse...

Acho que alguém deveria publicar o post do seu blog.
Vc está sendo porta-voz de muitas pessoas que se irritam e não tem onde desabafar.
Abaixo a falta de educação!!!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Fui assistir "Paixão de Cristo" no CinemarK do Shopping Higienópolis.
Que arrependimento! Uma mãe resolveu dar aula de catecismo ao filho durante todo o filme.
Minha vontade era crucificar a tal mãe.

Anônimo disse...

ontem eu ia ver o batman num cinemark daqui da minha cidade, mas desisti logo que vi a fila quilométrica repleta de adolescentes. cinema de shopping é o fim -- infelizmente onde moro é a única opção.

Samantha disse...

Não tem como não detestar crianças. Alias, não tem como detestar os pais que como se não bastasse serem pessoas detestaveis, ainda se proliferam nesse mundo de meu Deus, irritando pessoas boas que já não aguentam mais tantos idiotas por aí.

jana disse...

amiga eu ia assistir o batman no higienopolis, mas acho que desisti.
ou vou esperar mais um mes!

adoro seu blog faz mtoo tempo
bj

juliana alves disse...

indo ver daqui a pouco, no bristol.
deus me proteja.

Marcos Lauro disse...

Eu ainda não entendi a lógica paulistana para filas (isso porque sou paulistano e nunca morei em outro lugar).

Começar a fazer fila 1h antes de algo começar é ridículo, não tem motivo nenhum. O pior é que fazem fila até quando o lugar é marcado.

Chato demais.