quinta-feira, 28 de dezembro de 2006

Xô Listas 2006

Não vejo a hora de acabar o ano para não ter mais que ler listas de melhores de 2006.

Chega de retrospectiva, povo, chega!

Passando o dia no party shuffle, fui checar a música mais ouvida no ITunes. Tinha certeza que seria "Young Folks", ou "El Desierto" da Lhasa de Sela, que bomba em casa durante fases muy dramáticas. Mas não foi. Bati o recorde, segundo um programinha aqui, ouvindo sem parar o cd do TV On The Radio.

Então, já que eu não tenho paciência para fazer listas, essa fica sendo A música do ano para moi.

"Wolf Like Me":




* Post Anterior: Melhor Lista de "Melhores de 2006"

Mendigo Virtual

Nosso senso de humor é impressionante...

conversando sobre o Second Life com os amigos um dia, imaginamos a bagunça que vai ser a comunidade brasileira lá dentro.

já imaginamos seqüestros, lavagem de dinheiro, flanelinhas, ônibus incendiados, etc.

E hoje, lendo o G1, fiquei sabendo que já existe mendigo no Brasilzão do Second Life!!!

Ele é negro, tem barriga d'água, está descalço e vestindo só um bermudão, tem (não)cabelo estilo Ronaldo Fenômeno, segura uma garrafa de cachaça e pede esmola.

Não dá para copiar a foto, então vocês vão ter que seguir o link acima.

...

quarta-feira, 27 de dezembro de 2006

Coisas que só acontecem comigo - Parte III

** Mesmo com tanta falcatrua rolando solta por aí, a Receita Federal resolveu pegar no meu pé. Eu devo ter cara de sonegadora nervosa. Eu! Pensa: eu. Esperei pacientemente pela minha aguardada restituição do Imposto de Renda. Último lote e nada.

** Caí na malha-fina. Acho legal passar por essas experiências. Produtivo, néam. Faz você cair na real que tem 31 anos de idade, que trabalha (até que) bastante, paga (muitas) contas, paga (muito) imposto, etc. Eu me sinto feito gente grande. Beeem grande. Grande e verde e bufante, querendo sair pisoteando carros por aí. Mas diplomacia é o meu forte.

** E agora vem a outra parte da história.

-------------------------------------------------------------------------------------

** Eu vivo em um mundo gergelim. Saí de uma cidade-ovo para freqüentar um grupo de amigos do tamanho de um arroz. Uma teia absurda que me liga a todo e qualquer habitante dessa cidade. Faça um teste. Eu devo estar a dois degraus de você. No máximo. É tão sufocante que às vezes parece até roteiro de Manoel Carlos. Você pode ser minha irmã gêmea por exemplo, e nem sabe. Vamos descobrir isso por acaso, claro.

** Ao ligar para um "funcionário da Receita" questionando a ausência do meu nome naquele belo último lote de sexta-feira:

Jack Bauer das Finanças: "Humm... Ana Carolina... sei... sei... Por acaso irmã de uma Ana Paula?"

Voz humilde-disfarça-pânico-e-arrogância: "...si-sim..."

(nesse momento já imaginando a família toda presa. Minha irmã também, coitada????)

Jak Bauer ofegante: "Que coincidência, você estudou com o meu irmão no ginásio!!!"


-------------------------------------------------------------------------------------
** Sem comentários. SEM COMENTÁRIOS. O Jack Bauer da Receita tem acesso irrestrito aos meus dados bancários E à minha memória pré-adolescente. E eu não tenho em quem votar, mas já que tem que votar em alguém para sair da casa, eu voto nele.

ps: eu revi "Truman Show" no final de semana natalino e começo a ficar seriamente desconfiada do mundo.

Coisas que só acontecem comigo I
Coisas que só acontecem comigo II

LostMania

* Toda vez que minha irmã vê o Thom Yorke, ela acha que é o Henry Gale. E vice-versa. Azar de quem?



* O Lemp me mandou uma paródia ótima do LOST esses dias. A idéia é muito boa: um sobrevivente do Oceanic Flight finalmente consegue sair da ilha e dá uma entrevista à TV. Segundo ele, a turma do Jack não deixa ilha porque... não quer!. É muito engraçado o gordinho tentando ser ouvido, berrando as coordenadas e mostrando como seria fácil sair de lá se...



thanx, Lemp. Adorei. Segredo desvendado: bando de folgados. =)

terça-feira, 19 de dezembro de 2006

Comidinhas

O Lucas Of, companheiro de guerra no Sampaist, entrevistou a a Alê Blanco hoje.

Esse pão de ervas aí da foto foi ela quem fez.

Não consegui um link direto para o post, mas se você entrar no blog "Comidinhas" que ela atualiza quase todos os dias, vai encontrar a receita secreta. Além disso, dá para ver o trabalho que dá para preparar um "simples" brunch em casa para os amigos. É uma dedicação sem tamanho e que só o amor explica.

Tem tanta receita gostosa no site que me deu até vontade de fazer uma promessa conflitante para 2007:

** emagrecer os 6 kilos que perdi comendo croissant na chapa pós-balada e almoçando no Ughe's todos os dias

+

** perder a preguiça de cozinhar. Sei que é mais fácil eu virar uma jogadora de basquete que me colocar na cozinha, mas quem sabe eu não dou uma animada?

-----

E eu escolhi essa foto para o post porque tem um detalhe nela que gostei muito: uma latinha de tomates frescos vazia com rosinhas coloridas dentro.

tão simples! adoro esses pequenos detalhes.
-----

Clique aqui para ver mais fotos e "roubar" mais receitas.

Clique aqui para ler a entrevista.

ps: a foto do pão foi tirada por ela e está lá no blog.

Natal Natureba



Eu queria saber quanto o coitado aí ganhou para se vestir de samambaia nessa propaganda ridícula.

Se fosse só para ficar escondido no site do Shopping, tudo bem, mas o menino saiu fantasiado em todos os jornais de hoje.

O mais legal é que o figurino dele está super apropriado. Camisa social e tal... E nem dá para perceber que mentiram para ele que a foto seria com um fundo neutro, tipo a praça de alimentação. Ele topou.
Daí, vai um cara lá bem ruim no Photoshop e faz essa floresta toda ao redor dele... Eu pediria indenização, sem dúvida.

O tipo de propaganda (estou focada em marketing hoje, neam) que levaria QUALQUER candidato do Aprendiz a um "está demitido!".

Ah... o slogan: "A gente não tira a Natureza da cabeça nem no Natal!"

Percebe-se.

Telemarketing Bizarro

Gente! Aquela vendedora, a Jussara, que usa um tipo de telemarketing muito estranho, voltou a me ligar!

"Oi Anammm. E aíammm. Tudo? Que tudoammm!"

dessa vez ela queria me dizer que a "blusa preta" que eu comprei é a "mais procurada da loja".

-- isso é bom ou ruim? corro o risco de encontrar minha blusa em todos os cantos da cidade?

-- se ela voltar a ligar, devo chamar a polícia? Vendedora com alto potencial para stalker!

-- que tipo de telemarketing é esse? volto a perguntar.

"Linha Direta", Bandido da Luz Vermelha, Crazy e Lost

**Momentos YouTube:

** estou tentando achar a introdução do Linha Direta da semana passada - acho? - porque um amigo não acredita até agora que eles abriram com a música Crazy do Gnarls Barkley. Alguém viu? Era o episódio sobre o Bandido da Luz Vermelha. A abertura era um cut-out: tudo em p&b, e só aparecia o vermelho, óbvio, dãr. Crazy rolando solto, e com legenda: "talvez eu seja loooouco". Demais. Para completar, ainda fecharam com "Rubro Zorro" do Ira!, música que marcou uma fase bem legal da minha adolescência. Bem doido ouvir aquele disco com os óculos "psico-acústicos". Se alguém achar, me avise!

** momento sensacional, que deu lá no Stereogum e que não dá para não linkar. LOST em animação com trilha do Weird Al (aquela polka bem pentelha, que começa com Beck, El Perdedor):



** No mesmo YouTube, já tem teaser da nova temporada do LOST (hummm...sabia que aquela menina lá não morreu? e que ela é, na verdade, do bando dos Outros?). =)

** E o Rei... aquele mesmo que apareceu aqui trajando casaco de pele e cantando "me aqueça nesse inverno" com neve de estúdio, apareceu de chapinha definitiva e cantando "funk romântico e manêro" na Globo. Juro que dá para ouvir uma risada de Hebe no vídeo, mas não sei ao certo se era ela. Especulações.

segunda-feira, 18 de dezembro de 2006

Rostinho Bonito

Não se assustem, mas o Sampaist está de cara nova.

Aquela coisa, néam, ano novo...

O Cubo de Rubik "wiz my toezz"

O site de babados em geral PapelPop (mais uma dica da Flávia Durante, ex-Philipinas e ainda com o link velho na minha página) conseguiu me fazer perder o dia.

Eu havia dito que nunca consegui resolver a droga do Cubo de Rubik. Um trauma grande de infância. Pois o PapelPop linkou esse vídeo do diretor Michel Gondry resolvendo o brinquedo do mal com... os pés!



ps: adoooro o sotaque. Segundona me sentindo uma mula.
UPDATE 19.12.06: a Modern Age (blogueira que era indie e que agora virou emo) disse que na verdade, esse vídeo está de trás pra frente. Dãr. Dãr. Está mesmo?

El Perro Del Mar

E eu consegui perder a única atração sueca que realmente me interessava:



... Imperdoável.

Harpa, Bossa-Nova, João Gilberto e a Máfia.

** Já falei da Joanna Newsom, aquela que toca harpa, tem voz de uma Bjork adolescente, é hipponga doidinha de pedra, e que mesmo assim consegue fazer músicas fofas (apesar de eu ainda não conseguir ouvir um disco inteiro) que dão sono mas que não te deixam dormir. Bem, ela é muito mais que isso, claro, está causando e merece crédito. Mas tocar som deprê regado a harpa na pista é querer empurrar as pessoas pro bar. Ou fermentar aquela disputa boba de indie "eu tive 'as manha' de tocar Joanna na pista". Preguiça enorme.

** Mais preguiça ainda de aturar norueguês metido a João Gilberto que exige bossa-nova na pista. Tudo bem que Kings of Convenience tem a sua graça, mas eu acho que na verdade, Simon & Garfunkel já fizeram - e bem - a sua contribuição à humanidade. Se a dupla é legal mas cansa um pouco, o que foi o cara sozinho com violão no peito pedindo para as pessoas praticamente ficarem sem respirar durante a apresentação? A voz dele é linda, ele é um gringo até que simpático, as músicas são boas e a discotecagem dele pós-show não foi das piores, mas... bem, zzzzz. Psiiiu e shiiiu não são coisas para se ouvir a cada 5 segundos em uma sexta-feira à noite. Aprenda a cantar mais alto ou, na próxima vez, vá tocar em um mosteiro! E não se esqueça de chamar o Maneco do Leblon Projac para a trilha sonora. Porque deu um pouco de vergonha alheia de ver o "pessoal muderno" se esforçando ao máximo para fingir que um dia achou lindo dançar bossa-tema-de-novela das oito como se fosse a música da vez.

** Às vezes quase sempre, eu me rendo a um filme pirata. Porque eles caem na minha mão, simplesmente. E essa semana alguém aí apareceu com o "Infiltrados", novo filme do Scorsese. Acho filme de máfia um saco, entra naquela categoria "não vejo nem que me paguem". Conseguiram me convencer e, clichês à parte, o filme é bom mesmo. E olha que eu odeio a cara de Bebê-Johnson do Di Caprio. E mais ainda o porte de jogador de futebol americano anão do Matt Damon. Odeio cenas de acerto de contas e cenas de troca de mercadoria com gangues rivais em carros pretos se encontrando em galpões abandonados. Sempre a mesma ladainha. Mas a minha diversão foi outra. O sotaque irlandês-americanizado dos atores somado a gírias absurdas com uma legenda bem das mal feitas em português de Portugal com trechos em Portunhol. Frases como "tens seu período?", "estou a usar o telefone móvel", "aquela cajo de uma égua", "seu cocô de cavalo!" saindo da boca do Jack Nicholson é no mínimo divertido.

quinta-feira, 14 de dezembro de 2006

Rolling Stone - Poeeeeira!



Ok, OK. Tudo bem que a capa é com a Ivete Sangalo Levanta Poeira.

E que na chamada principal tem James Brown...

Ainda não fazemos parte do texto gritando "Jovens Bilionários", mas se você for até a página 38 vai encontrar um artigo com o óótimo título: "BLOG PARTY". Bem, estamos lá. Woohoo.

Sampaist na Rolling Stone de Dezembro!!!.

Orgulho mais uma vez de ter me atirado feito louca stalker psicopata no caminho do Justus. Às vezes, cara de pau é essencial e dá certo.

Tipo frase "Dica do Dia": "se joga e faça a Glen Close - é melhor um Justus ter medo de você do que ele nem saber que você existe"
P.S.: a reportagem sobre o novo filme do Zé do Caixão vale a revista.

quarta-feira, 13 de dezembro de 2006

O Erudito...

Eu adoro as charges do Savage Chickens. Essa aqui vai bem com a minha persistência em (tentar) entender a música clássica.

Desculpa aê, Cauby!



(foto de Bruno Barriguelli)

Deu na Gazeta do Frango, do amigo Guilhermoso, e reproduzo aqui:

Como é de conhecimento geral, todas as segundas-feiras podemos assistir, no Bar Brahma, um dos nossos maiores ícones musicais, Cauby, o Peixoto, pela quantia de 35 cruzeiros reais.

Em nossa cidade também está em cartaz uma peça teatral intitulada: "Cauby ! Cauby !", onde o magistral ator Diogo, o Vilela, representa as aventuras do cantor supracitado. No entanto, o ingresso para estas apresentações se situa na faixa de 70 reais de pataca.

Isto significa que, em nosso país, assistir a cópia custa o dobro do que o original.

Sensacional constatação.

Fiquei até com uma pontinha de remorso. Há alguns anos, o Cauby me ligou ( !!! ) querendo aulas de inglês. O pai de uma amiga (aê Eli!) que o conhecia havia me indicado. OK. Apesar de saber desse link que me unia ao Sr Peixoto, nada te prepara para uma ligação dessas. Muito menos quando ele fala que as aulas seriam apenas de pronúncia e que eu precisaria acompanha-lo às gravações de um "tributo ao Sinatra". Muito menos ainda quando ele fala que só acorda às 16h e que as aulas poderiam ser em minha casa ou no Hotel do Centrão onde ele mora(va).

Ele perguntou quanto eu cobraria por hora. Mesmo sabendo que esse tipo de coisa não tem preço, eu disse. Ele respondeu: "veja bem, querida, eu vou falar seu nome nos programas de TV". Mas um merchan no meio da tarde de um sábado no programa do Raul Gil não era exatamente o que eu precisava na época...

E foi assim que meus vizinhos perderam a chance única de ouvir "Myyyyyyyy Waaaaaay!" ecoando pelo prédio.

Desculpa aí, Cauby!

terça-feira, 12 de dezembro de 2006

Hebe Gracinha & Doidinha

Eu não consegui parar de ver o programa da HEBE hoje. Foi um festival de momentos YouTube, que por um momento achei que fosse uma coletânea do site.

** Tudo começou com uma Hebe emocionada defendendo a mulher que roubou uma manteiga no super e foi presa. Daí, para quebrar o climão, ela se levanta do sofá animadíssima e aos berros: "Gentiiii! Mas nós temos uma boa notícia hoje!!!!". Câmera na cara de interrogação do povo. Berrando mais alto ainda: "O PINOCHET MORREU! PALMAS! MAIS PALMAS! O PINOCHET MORREU!". E o povo aplaudia ensandecido, estilo vitória do Brasil na Copa. Começou bem. E quando o Maluf morrer, hein?

** Daí, entra o Carlos Nascimento e a Hebe começa a se jogar pra cima dele, dando em cima na cara dura. Diz inclusive, que para comer chocolate Cacau Show, é só pensar nele e "hummm....saborear à vontade...". Corta para um Nascimento roxo de vergonha.

** Entra Suzana Werner, aquela que chifrou o Ronaldinho com o Bial (haha adoro lendas urbanas). A Hebe, na maior cara dura, pergunta: "E aí, Suzana, você virou 'doninha de casa' agora? O que você faz lá na Itália?". Constrangimento geral. Ela responde: "Bem, eu faço aulas de culinária em casa. Já que eu resolvi assumir de vez essa posição de mãe-dona-de-casa, vou fazer direito".

** Entra uma mulher de plástico. Fiquei sabendo que ela se chama Janaína e foi ou é casada com o mala mór, Otávio Mesquita. Ela entra rebolando, com uma escola de samba atrás. Só que ela não sabe sambar, e fica rebolando estilo dançarina do ventre. O cara do samba-enredo desafina horrores e a Hebe pede para encerrar para fazer um merchan da Casas Bahia. Eles não voltam nunca mais.

** Entra o careca da natação, o Xuxa, e a Hebe pede perdão pelo trocadilho, e manda "um beijo enorme para a Xuxa Graciiiinha".

** Entra a mãe que supostamente havia "morto" a filha com cocaína. Isso, a Hebe fala "havia morto a filha". Fica nervosa, diz que está muito emocionada, e pede ao Nascimento que a entreviste. Ele parece desconfiado, e pressiona a advogada de defesa. Suzana Werner chora.

** Hebe resolve perguntar sobre a carreira dos entrevistados. Suzana ex-atriz, agora dona-de-casa, vai virar cantora já em 2007. Disco em fase de mixagem. Janaína, a mulher de plástico e seios exuberantes que é Rainha da Bateria mas não sabe dançar, diz que em 2007 vai se dedicar ao cinema. Tem um longa na bagagem, e ensaia 2 peças de teatro. Xuxa, o nadador pegador geral, está aprendendo a dançar. 'Tá' tudo errado.

** Gracinha. Humor não intencional dá medo às vezes.

segunda-feira, 11 de dezembro de 2006

Os melhores de 2006...

Odeio listas de finais de ano. Melhores cds, melhores shows, piores micos, etc., cansa e parece que ninguém consegue ficar sem elas. Eu tenho preguiça de ler, sempre pulo e não dou a menor bola.

Mas através de um link, caí na Lista 10+ do site todo-moderno da Globo, o G1.

Eu comecei pelo Zeca Camargo, que de cara já cutuca a MTV defendendo o YouTube. Gostei.

E daí cheguei na Lígia Nogueira, que eu não conheço mas gostaria de. Em que lugar você vai ler nos "melhores de 2006" - em uma mesma lista ! - os seguintes nomes: Maquinado, Coquetel Molotov e Banksy?

Não existe isso, mas ela entra na minha lista de Melhor Lista de "Melhores de 2006".

Para ler as outras:

*Álvaro Pereira Júnior
*Diego Assis
*Shin Suzuki
*Daniel Tambarotti

Nada de Dress It Up ou Trash It Up

Deu no Londonist, irmão londrino do Sampaist, que hoje acontece a última noite TRASH no clube The End...

A noite de rock que nenhum clube paulistano conseguiu imitar. Ainda. Foi lá que ouvi pela primeira vez uma música "desconstruída": ainda não tinha a menor idéia do que seria um mash-up, só sabia que não dava para saber onde uma música terminava e a outra começava. Eu me lembro direitinho qual era: a batida era de "Broken Face" do Pixies com a voz de "Black Math" do White Stripes. As duas são bem pesadas e não costumam tocar na pista, mas mesmo assim as pessoas pulavam e gritavam. Com muita classe.

O nome desse blog, que hoje soa cafona e fora de lugar, saiu do dress-code dessa festa, que exigia que as pessoas se vestissem (er, 'se montassem') de maneira "largada", e não "enfeitadas" ou bem arrumadas. Nos flyers, vinha assim: "Dress-code: Trash It Up".

Trash It Up também significa detonar algo ou alguém. Criticar, avacalhar, etc.

O nome era sonoro, engraçado, e até tinha a ver com o que a gente queria fazer na época do blog véio: cutucar. Mas acabou ficando.

O DJ da Trash, Erol Alkan, está no MySpace: aqui.

Festa Sampaist - sucesso!

Já está tudo lá no Sampaist:

* Clique para ler sobre a festa e ver todas as fotos em slide.

* Já de manhã, Ticos do Sampaist invadiram a Bella Paulista para o famoso Croissant Na Chapa. Dessa vez, sem revelação de amigo secreto de firma e sem casais sadomasoquistas.

sexta-feira, 8 de dezembro de 2006

Festa do Sampaist



Esse foi o primeiro conceito da camiseta Sampaist.
Algumas pequenas mudanças depois, ela ficou ainda mais bonita. Discreta, barata, moderna, e todo mundo tem que ter. =)

A festa é hoje!

* A balada começa cedo, às 22:30, com discotecagem do Marcelo Costa (Scream & Yell).

* A banda Imperdíveis entra em seguida e promete "roquenrou em estéreo para dançar"

* Após o show: o Onipresente DJ Tatá Aeroplano (Jumbo Elektro).

* E Carlos Freitas (ImPop) segura a pista até enjoar dos seus mashups, ou até o povo cansar de dançar.

* Durante a festa, os meninos da OBRA exibem camisetas Sampaist e outras. Levem $$$.

Até mais então.

quarta-feira, 6 de dezembro de 2006

Chapinha: no banheiro mais perto de você

Em um post anterior sobre cabelos que usam anti-palha e cabelos que usam chapinha, recebi um comentário anônimo (além de pitacos suecos) com um link.

O link dava para um site que exibia orgulhosamente a mais nova invenção britânica: a "Chapinha em Banheiro Público":


(clique na foto para uma versão maior)

Claro, estamos falando de um clube estilo Vegas e Glória, e não da Funhouse.

Segundo o site, por U$1,85 dólares você pode usar a chapa-quente (eles chamam de Hot Iron) por 90 minutos.

O site ainda avisa: "cansou de sair com o cabelo da Cher e voltar parecendo a Macy Gray?". hahahahaha.

Já vi de tudo: banheiro com perfume, com fio dental, absorvente, o.b., camisinha, listerine, e até maquiagem. Com a chapinha de emergência, há o risco dos caras nem reconhecerem mais a namorada quando ela sair daquela mijadinha básica no banheiro.

terça-feira, 5 de dezembro de 2006

Céu da Boca



Esse livro aí reúne experiências de pessoas provando pratos que marcaram a infância... olha só:

Nesta obra, 18 pessoas de diferentes áreas profissionais escrevem sobre a lembrança que lhes ocorreu quando convidados a rememorar refeições e sabores da infância e adolescência. Textos de puro prazer que remetem o leitor de volta às suas próprias raízes e vivências, num exercício sensorial de memória.

"Exercício Sensorial de Memória". Adorei a idéia, porque certos sabores trazem tanta coisa de volta!
Talvez seja por isso que toda vez que voltamos para casa, minha mãe pergunta de cara: "vocês vão querer comer o quê?". E - sempre - nossos pedidos acabam sendo os mesmos.

Não basta voltar para casa: a gente tem que se sentir em casa. Ter aquele cheiro de volta.

E esses são os pratos que levo comigo e que têm o gosto da minha infância:

** Lombo com Abacaxi
** Arroz com Suan
** Vaca Atolada
** Quibebe com picadinho de carne
** Encapotado
** Bolinho de Chuva

obs: a lembrança gastronômica mais antiga que eu tenho é a do "Arroz Com Tranqueira" da minha avó, mas ela não libera a receita.

domingo, 3 de dezembro de 2006

BRAVO II !



* Precisa dizer alguma coisa?

* Mas precisa ver (reparem na decoração natalina bem apropriada):



* Revista boa de comprar. Post anterior sobre a Bravo.

sexta-feira, 1 de dezembro de 2006

Tá no sangue

Meu pai, todo mundo sabe, sempre foi uma pessoa ligada à música. Do jeito dele: em casa, às 7 horas da manhã você tem a sensação de ter acordado dentro de um baile.

Ele tem vinis absurdos, e que hoje moram aqui comigo, como os do David Bowie, e da Suzi Qautro ( !!! ), por exemplo.

Daí ele teve a fase country, depois a de blues (também herdei esses), e agora se fixou na grandes orquestras de jazz. As "big bands", como ele diz.

Não bastasse ele ser o tesoureiro da Igreja, ele agora virou o Presidente do Clube. O Clube está falido, mas ele não desiste nunca.

E esse é meu pai fazendo tudo pela cena.

* orgulho!

O Cubo de Rubik

ATENÇÃO ----> o post anterior foi uma analogia.

Mas como a internet é uma maravilha, ao escrever o post quis lembrar o nome do cubo. E de um link a outro cheguei nisso. O YouTube acaba de me tirar um trauma de infância.

Veja um Cubo de Rubik "se" resolvendo sozinho:



eu sou bem mais complicada.

Decifra-me

sabe aquele cubo colorido que os pais davam para gente brincar nos anos 80? Aquele que te fazia ficar horas quieto, pensativo, se achando burro, complicado? Eu nunca consegui resolver aquilo.

daí chega alguém e pá-puf. Desmembra tudo.

...os detalhes. O valor das pequenas coisas.

sem querer fazer a LEGO, mas sabe aquele dia em que todas as peças se encaixam?

então. registrado.

quinta-feira, 30 de novembro de 2006

Nostalgia

* para Coupland: "nostalgia is a weapon"

* para os árabes: "a alma viaja com a velocidade de um camelo"

* olhar para frente.

segunda-feira, 27 de novembro de 2006

Sleeping States

Adoro festinhas nerds. Quero uma pra mim.
E adoro pessoas que fazem músicas como essa.



vídeo de "Rivers" do Sleeping States.

quinta-feira, 23 de novembro de 2006

I Am Somebody

Esse é ou não é o melhor diálogo de todos os tempos?

BRAVO!



Dica boa de um amigo indie-sambista-erudito.

Aproveitando toda essa onda de samba, pandeiro e volta às origens. A capa da Revista Bravo desse mês ficou linda.

Mas nem por isso. Em uma hora e meia de trânsito que peguei hoje, não parei de ler. Consegui um lugar lá no fundo do ônibus e me senti muito privilegiada por poder ler em paz enquanto ouvia música.

Mas nem por isso também. O maior motivo da dica - e da compra - foi o GUIA OSESP que veio com a revista. Didático, explica até quando a gente pode aplaudir e gritar BRAVOOO! com vontade!

Já tem toda a programação do ano e dá para escolher o tipo de assinatura, assento, etc.
A todos, o convite: juntem-se ao movimento "Indie Erudito - Por Uma *Cena Mais Classe".

ps: humm...e aquele buffet maravilhoso da entrada? Se liga: empanada com o famoso suco de maracujá com gengibre + um bom concerto para saber do que se trata um fagote e um oboé + uma boa cerveja + e Milo para acabar a noite. Bean 2007.

ps2: sei que não é engraçado, mas achei surreal a notícia de que os caras que tocam contrabaixo e contrafagote na OSESP foram presos em Miami fumando maconha. Imagina a cena.

Anti-Palha, Penélope e Sexo na Madrugada

Não tenho poder de síntese, mas vou tentar resumir tudo isso.

1- ANTI-PALHA: conforme prometido no post abaixo, foto do condicionador (era do shampoo, só agora que eu vi que tirei a foto errada. mas vale). Bem ali no quadrado inofensivo em vermelho. Não basta ser ANTI-QUEBRA, tem que ser ANTI-PALHA também. Anti-Frizz era muito mais sutil.

Usando o gancho cabelo, não posso me esquecer da Penélope Nova.


2- Penélope: Ela que, nesse final de semana apareceu com esse corte que lembra aquele menininho de desenho animado, o garotinho Dragonball. Ou algo do tipo. Ela finalmente abandonou o look Bon Jovi, ótimo, e desistiu de querer parecer a Simony, mas continua achando que temos que ver os peitos e as coxas dela a todo instante. Não dá. Ela agora ainda deu de perder a paciência com as crianças que ligam lá querendo saber se o namorado é gay "só porque usa roupa de mulher". (a foto tirei da TV mesmo)

E usando o gancho Penélope PontoP:

3- Sexo na Madrugada: tive o (des)prazer de ver um programa no GNT chamado "Inspetores do Sexo". É tão bizarro, tão surreal e tão...grosseiro, que tem que ser visto. Porque explicando, ninguém acredita.

Um casal de "doutores do sexo" analisa a performance sexual de um casal por uma semana. O "approach", como a coisa rola, como ela termina, etc. Comentários do tipo: "mas veja bem, ele não esperou que ela gozasse!". Pior que os comentários - e as cenas com tarja preta - são as "dicas práticas". Eles ensinaram à mulher a fazer sexo oral em sorvete, e ao homem, uma técnica para "prolongar o prazer". Algo de sexo tântrico para um cara que tem ejaculação precoce, gosta de boneca inflável, de correntes, e de mulheres muito gordas e bem mais velhas. Ou seja, é óbvio que os conselhos não surtiram efeito. Nas cenas de sexo oral, a imagem fica escura e vemos o casal somente através de luz fosforescente. Parece que estamos observando a dança do acasalamento de vagalumes.

Achei uma reportagem da Ilustrada dizendo que esse foi o programa do GNT mais visto no mês de Outubro! Beeege, como diz minha mãe. Há links YouTube para essa peculiar atração, mas vá procurar você mesmo.

E eu toda feliz com o Mothern, Saia Justa, Sem Controle...enquanto o povo se joga no SuperNanny Erótico.

quarta-feira, 22 de novembro de 2006

Toda chapinha será castigada














Já foi difícil para o meu cabelo aceitar que ele não nasceu liso. Principalmente nos anos 80, quando não existia chapinha e eu tinha que me sentir o máximo saindo do salão parecendo uma das Panteras.

Quando eu tinha uns 12 anos, pedi para ter o cabelo da Maitê Proença na novela "Sassaricando" (1987). Esse aí da foto, que para mim era o ideal de beleza. No mesmo dia eu: 1- alisei o cabelo pela primeira vez na vida com uma química perigosa e fedorenta que parecia soda cáustica (ou era mesmo?), 2- REPIQUEI o cabelo em 200 camadas (na época, pediam para você jogar a cabeleira para frente, e passavam a tesoura com você com a cabeça pra baixo), e 3- fiz a primeira escova Pantera da minha vida, daquelas que deixavam os cachos em câmera lenta ao vento.

Além de ter ficado horroroso (para os padrões de hoje, neam), tive que aprender a fazer escova sozinha to-da vez que lavasse o cabelo. E é por isso que a chapinha é sim, uma grande invenção da humanidade e não se fala mais nisso.

Mas depois de uma ameaça de um abaixo-assinado por parte de um grupo adolescente, para que eu não fizesse a tal escova definitiva, resolvi deixar os cachos saírem - um pouco - do armário.

Eles estavam felizes e saltitantes...até ontem.

Sempre foi difícil explicar aos cachos que para a firrrma do shampoo eles são: "rebeldes", "indisciplinados", "difíceis de pentear", "armados e quebradiços", "secos e sem-vida" e ainda..."frágeis e danificados".

Esses são os eufemismos com os quais eles têm que lidar todas as vezes que vamos ao supermercado.

Eu estava usando um novo aí, que ajudava na chapinha. Além de "disciplinante", ele era "liss intense" ( !!! ) e pasmem: "anti-frizz". Frizz, como vocês devem saber, é "pixaim" em inglês. Mas para não ficar chato, eles acharam chique chamar assim.

E agora vem o baque: o anti-frizz não se chama anti-frizz mais. Ontem fui ao supermercado e tive que explicar ao meu cabelo que agora a gente usa um...ANTI-PALHA!!!

Isso. Era só o que faltava. Além de todos os xingamentos lá de cima, agora eu uso shampoo anti-palha. Tirei foto e vou postar aqui assim que der tempo.

E se alguém vier me encher o saco com aquele papo de "prefiro os seus cachos naturais" vai levar uma prancha de cerâmica na testa.

segunda-feira, 20 de novembro de 2006

Atropelando Tudo!



E o curta-metragem "Manual para Atropelar Cachorro" continua fazendo bonito nos festivais por aí.

Deu na Ilustrada de ontem:

O curta paulista "Manual para Atropelar Cachorro", de Rafael Primo, foi aclamado o grande vencedor da Mostra Competitiva de Curtas e Médias da 13ª edição do Vitória Cine Vídeo.

A produção levou quatro prêmios:

** melhor direção
** melhor atriz (Bárbara Paz)
** melhor ator (Rafael Primo)
** melhor montagem (Helena Maura)

O resultado saiu na noite de sábado (18), no teatro Glória, em Vitória.
Parabéns mais uma vez, meninos!

Na foto: Duda, Rafa Primo, Paulinha Sista, Daniel Gaggini e Bárbara Paz.

Leia mais:

** "Manual para..." ganha 3 Kikitos em Gramado
** "Manual para..." ganha mais dois prêmios no encerramento do Festival de Curtas
** Blog do Daniel Galera, autor do conto que deu origem ao roteiro.

domingo, 19 de novembro de 2006

Músicas de um Final de Semana Improdutivo

** Claro que eu não consegui fazer metade das coisas que eu planejei nesse feriado. Mas consegui: comprar 5 DVDs que ainda não assisti, ir ao cinema ver "O Céu de Suely", terminar um livro que estava adiando porque não queria que ele acabasse, e consegui ver os amigos por mais que 15 minutos.

** Um bombardeio de links YouTube recebidos:
-->A menininha meiga mandando o Sílvio Santos tomar no cu
-->o João Gordo morrendo de medo do Dado Sawyer Dolabella
-->o Bozo gritando "misericórida irmãos" e separando o Sérgio Mallandro do Gordo
-->a Orca assassina que pula em cima de um caiaque indefeso
-->e até um ataque horroroso de tubarão que eu NÃO precisava ter visto.

** Fuçando, naquelas horas absurdas que a gente consegue gastar nesse YouTube, achei três músicas que eu queria há tempos:

** Mais uma perseguição Sueca, daquelas que valem a pena. A música que eu mais gosto do Love Is All: "Make Out, Fall Out, Make Up".



** Encomendei ontem meu disquinho especial do DeVotchKa. Enquanto ele não chega, o clipe da música "Till The End of Time", com cenas do filme "Little Miss Sunshine":



ps: já falei do filme aqui, e já coloquei outro vídeo do DeVotchKa aqui.

** E a música que nunca cansa. Ela tocou na pista sexta-feira, e fiquei com ela na cabeça até agora. AIR, "Sexy Boy":

sexta-feira, 17 de novembro de 2006

Anedotas Suecas

Continuando o
papo sueco abaixo, link para a história musical da Suécia do Wikipedia, que está bonitinho.

Eles até me fizeram lembrar que, além do Abba, dos vikings e dos suícidios juvenis, a Suécia trouxe o Roxette ao mundo.

Ângelo, o amigo admirador de suecas, investe na teoria de que se não estão fazendo bandas, os suecos estão se matando. Exagero? Nada.
A *Cena sueca bomba pela falta do que fazer, aparentemente.

Diz o Ângelo:

"Mas deve ter um pouco de verdade nisso. Fui pra lá no verão, passei frio e não arrumei nada muito interessante pra fazer. Se soubesse tocar alguma coisa, talvez fosse famoso hoje. E conheci uma adolescente descolada que foi se apresentar COM OS PAIS NUM CORAL no centro de Estocolmo e achou o máximo!! Repito: adolescente descolada, dessas que na época escutavam Belle& Sebastian.

Não tenho fotos, porque me roubaram tudo. Mas se na capital é assim, imagina no interior. Um outro adolescente, esse da Lapônia, disse que no inverno ou saía pra andar de "moto de neve" ou ficava em casa sem fazer absolutamente nada. E no verão, ele ia nadar pelado no lago com os amigos (tipo 15 graus). Que beleza!"
O ócio gelado e criativo da Suécia. Tá tudo explicado.

quinta-feira, 16 de novembro de 2006

Malditos Suecos!

O que botaram na água da Suécia? Que passa?

Por que todo dia surge mais uma banda fofa de lá?

A Ilustrada de hoje surpreendeu ao dar capa para os obscuros do The Knife. Para ler a matéria acima tem que ser assinante eu acho, mas o texto do Dago começa assim:

"Os novos vikings:
Artistas de diferentes estilos, mas com alta sensibilidade, fazem da Suécia um fervilhante pólo exportador de música pop contemporânea"

Vocês já viram o vídeo "When I found The Knife"? É esse abaixo. Climão Donnie Darko, narração robótica e coelho doidão. Tenso. Tem continuação, é só clicar aqui para saber o que aconteceu 25 anos depois. Alguma explicação para essa história bizarra? E aqueles macacos não dão medo?



E o StudioSP (ooooba!) recebe uma parte dessa boa safra sueca. Ainda não é "Peter, Bjorn & John, mas quase.

No dia 13 de dezembro, rola o mini-festival-sueco, anotem aí!

** Abertura de Erlend Oye (esse é norueguês, não confudam. Ele é o João Gilberto da Noruega, do duo Kings Of Convenience).

** Daí vem o nerd-fofo do Jens Lekman. Vocês já entraram no MySpace dele? Tem uma entrevista como 'primeira música'. Criativo. E dá para saber mais sobre o que ele vem "sonhando", por exemplo, já que a Suécia é um lugar tão sem graça. Palavras dele.

** E então, tchanam, para dar uma sacudida: Hell On Wheels. Adoro.

** Dia 14, no SESC Vila Mariana: a maravilhosa "El Perro Del Mar". A melhor surpresa de todos aí no meio. O Bruno Orsini do IndieRock fez um texto legal sobre ela esses dias, com entrevista e tudo, vai lá.

** Para ver as outras bandas citadas na matéria, só no link mesmo.

** E para completar, conheci mais uma maldita sueca essa semana. Que passa? Que passa? Britta Persson:



...
ps: Comentário do Ângelo, amigo e grande admirador de suecas em geral: "Na Suécia não tem nada pra fazer no verão, muito menos no inverno. Os que decidem não se matar formam bandas."

Joanna Newsom



A dica é do Lúcio, que ficou martelando no "vai atrás da Joanna Newsom agoooora". Fui.

Não durmam antes da música acabar, porque ela é bonita de verdade. Joanna é da California, tem só 24 anos e toca harpa e piano. PsychFolk com harpa, era só o que faltava.

Baixei o álbum Ys, que saiu esse mês. Ele é estranho e sensível, às vezes irritante. Ela tem voz de criança, e parece doce demais. Senti uma vontade de agarrar a menina pelos ombros e chacoalhar. Mas depois que você entra na viagem da harpa - ou é hipnotizado, não sei - essa vontade passa. E ela tem lá seu crédito por tocar nas rodinhas 'bem loucas' de San Francisco, na companhia de Devendra e Vetiver. Nada mau.

Essa música é fofa, mas o clipe é mais. Chama "Sprout and the Bean" (Bean!):



** Com tempo, fucem bem o site do selo Drag City. As bandas são ótimas.

** Há uma semana, visitei a página dela no myspace e ela não tinha UM amigo sequer. Visitas: 15. Ela é capa da revista WIRE desse mês. Corri no myspace para ver se a turma havia aumentado, mas a página sumiu. Humm.

quarta-feira, 15 de novembro de 2006

De Dez mil em Dez mil...

A boa notícia vem do nosso chefe, o Justus do Sampaist:

"Fala pessoal... hoje batemos nosso recorde total de audiência de todos os tempos. Graças ao rebolado de Fergie filmado pelo Lucas, atingimos até as 23h15 de hoje a marca de 10 mil unique visitors. Caraleo!"
Caraleo mesmo.

Nada que um bom popozão não resolva. Parabéns ao Lucas pela sacada genial de filmar o humps da moça.

terça-feira, 14 de novembro de 2006

New Order @ Via Funchal

Preguiça de escrever mais sobre isso. Acho que foi - quase - tudo para o Sampaist.

Dá para ler o textinho aqui.

Eu não mencionei lá uma coisa. Em uma das músicas, talvez Ceremony, eu fiquei entre três casais que se atracavam. Duranto TODA a música. Até aí tudo bem. Mas um deles, era um mala de um nerd que TODA VEZ que o Bernard Sumner gritava "Obrigado São Paulo!", ele respondia: "São Paulo que nada, obrigado Corinthians!".

PIOR: a coitada da namorada, RIU TODAS AS VEZES em que ele soltou essa piada sem graça. Nem os amigos fingiam ouvir mais. E ele insistia e cutucava um outro cara (aliás, cutucar é muito chato): "Né não, Fulano, São Paulo num tá com nada". O Fulano envergonhado, fingia não ouvir, e a namorada? RIA. MUITO.

Meninas, vocês não precisam fazer isso.

domingo, 12 de novembro de 2006

Sente a maresia!

Não costumo acordar tarde, morro de preguiça de dormir. Mas hoje resolvi fingir que dormia até certas horas, para não pertubar quem tem sono.

O que foi bom, porque tive uma surpresa ótima depois do almoço-café-da-manhã:

O programa de TV da Igreja "Bola De Neve". Ou, "Bola de Neve Church", como eles dizem.

Vocês sabem do que eu estou falando, néam. Dá para se ter uma idéia entrando no site acima. Você dá de cara com uma onda, uma musiquinha reggae e uma mensagem: "In Jesus We Trust".

É uma igreja para surfistas, basicamente.

Sempre passava em frente, tem uma ali em Perdizes. Eu achava que era a redação da TRIP no começo, ou um clube de reggae para fãs de Armandinho. Levei um tempão para perceber que as pessoas choravam com a mão para cima lá dentro.

Nesse programa de TV - imperdível -, a locação parecia ser um resort qualquer em Maresias ou Paúba. Litoral norte, é certo. Praia, cabana, vento e sol. Meninas loiras de cabelos lisos e compridos, tipo universitárias da PUC ou Mackenzie, com brincos de pena ou dente de elefante.

Os meninos de bermuda e camisetas com pranchas, boné - claro - e correntinha hippie-chique.

Imaginem uma festa da OSKLEN. Tipo isso.

Uma banda de velhos cabeludos cantava algo em inglês que não dava para ouvir direito. E a galera, no maior clima de paquera que se já viu em uma igreja, fazia aquela dancinha típica do reggae, como se estivesse matando barata, sabe? Levanta perninha, joga para um lado, pula do outro?

Braços para o alto, olhos fechados ou fingindo choro, abraços calientes, gritos de Aleluia.

Muita harmonia, iluminando meu domingão chuvoso e preguiçoso.

Juro que deu vontade de ir lá um dia, e ver 'qual é' a das pessoas. Tirando o discurso "os judeus não sabem o que dizem", de uma menina loira queimada de sol, a comunidade parecia bem de bem com a vida. Alto astral, bichô.

E se toda aquele papo filantrópico do site for verdade, parabéns aos Bola de Neve. Porque de papo as igrejas já estão cheias.

Eu ainda tive a paciência de ler váááários depoimentos lá no site, e esse aqui me intrigou:

"Um dia desses, eu estava sozinho em meu apartamento e comecei a falar com Deus. Quanto mais eu sentia a Presença dEle, mais eu orava, e a minha maneira de orar foi ficando cada vez menos tradicional. Até que, no ápice da minha empolgação, enquanto eu gritava, saltava, mexia os braços e todo o corpo, percebi que a porta da varanda estava aberta. Imaginei o que os vizinhos da frente estariam pensando sobre mim."



Eu também imagino.
ps: para quem quiser conhecer melhor, além do site, há vários vídeos no YouTube.

sexta-feira, 10 de novembro de 2006

terça-feira, 7 de novembro de 2006

Coisas Que Só Acontecem Comigo - parte II

Ônibus TRANSPEN "São Paulo - Itararé", 300km de viagem em 6 horas.


Viajar de ônibus no feriado já é coragem sem tamanho. Para o interior, então, nem se fala.

Você pegar um ônibus com um velho que insiste em cortar as unhas ao seu lado, não tem preço.

CORTAR UNHA EM ÔNIBUS. Com tesoura de cortar papel. Por favor. É lasca voando para todos os lados. É nojento, é uma falta de noção absurda, é....nem tenho palavras.

Após a foto, fui salva pela poltrona 13 do outro lado do corredor, vazia e com vista para a estrada seca. Eu sabia que deveria ter viajado na 27, que é minha poltrona da sorte.

Eu tirei a foto porque mandei um SMS para minha irmã avisando que aquilo estava acontecendo e ela não acreditou em mim. E eu sei bem tirar foto fingindo que há algo de errado com a máquina.

Viajar pela TRANSPEN é colecionar histórias. Fazemos esse trajeto desde 1989. Nesses 17 anos, já aconteceu de tudo lá dentro.

Fizemos até parte de uma previsão da Mãe Dinah, que previu no programa do Gugu que o nosso ônibus iria capotar na estrada. Apesar dos amigos da faculdade terem me alertado da previsão da velha em rede nacional, eu não dei bola e fui. Capotamos em pleno feriado de Páscoa na Castelo Branco. Tivemos que pegar carona no acostamento para fugir das câmeras da Rede Record que chegaram antes das ambulâncias. Você já tentou sair pela janela de emergência de um ônibus? Então fique em forma, porque se você pesar mais que 80 kilos você morre queimado dentro dele.

Eu tenho pavor da 'parada' no posto Borssato. Ele fica exatamente no meio do caminho. Quando o motorista berra com aquele sotaque que conheço bem: "Parada de quEnze mEnuto", tenho vontade de dormir a acordar só na rodoviária.

Porque sei que, depois do Borssato, a viagem nunca mais é a mesma. As pessoas conseguem, eu juro, comprar espeto de frango lá dentro. E deixam para comer no ônibus, claro. Tem a coxa de tender (aham) frita, que vem amarrada em papel toalha. E o nosso tradicional encapotado. As crianças entram com a boca laranja de Doritos e sempre tem uma que vomita ao meu lado. O ônibus, graças ao maravilhoso mundo do ar condicionado, não tem janelas "que possam ser abertas". E você tem o prazer de cheirar gordura por mais 150km.

Eu sempro chego em casa cheirando quermesse de junho.

Os filmes da viagem são 'espetaculares'. Em uma das viagens, peguei um do Van Damme, que ele cheira cocaína e transa com duas mulheres ao mesmo tempo. Várias crianças no ônibus, senhoras e tarados em geral. Eles sempre inventam em colocar filmes de ação, e ainda não entendi porque não ficam com os filmes estilo Meg Ryan. Mesmo que tenha cenas de sexo, não vamos correr o risco de ver um anão francês abrindo espacato e mandando ver nas pequenas indefesas.

Agora que tem DVD, ficou engraçado. Eles sempre esquecem de selecionar a legenda, ou se confudem com o áudio, então não é difícil pegar 2 horas de estrada ouvindo um filme em francês. Porque é claro que ninguém vai até o motorista para reclamar.

Um amigo já teve o ônibus seqüestrado um pouco antes de chegar na cidade, uma amiga viajou com um ex-presidiário que pedia que ela abrisse a blusa... Eu juro que um dia coleciono todas elas e faço outro blog.

Um policial metaleiro viajou comigo uma vez e não me deixou dormir um segundo sequer. Ele colocou um dos fones do walkman dele no meu ouvido, mesmo contra minha vontade, e me fez ouvir Metallica em versão Apocalyptica por horas.

Mas tudo menos velho cortando unha do meu lado!
Eu me lembrei de um texto do JRDuran para a Revista TRIP, no qual ele dizia que um dia foi pegar a pizza no restaurante, ao invés de pedir o delivery, como de costume. Chegando lá, ele viu um dos caras cortando a unha bem ao lado do pizzaiolo. Ele saiu do restaurante, jogou a pizza na primeira lata de lixo que encontrou, e nunca mais conseguiu fazer um pedido de entrega. Já imaginou quanta caspa e resto de cutícula a gente já engoliu nessa brincadeira?

terça-feira, 31 de outubro de 2006

Hã?

* Dois minutos atrás:

* Moça simpática ao telefone: - Olá, Ana, tudo bem? Aqui é a Jussara.

Pausa para tentar lembrar se há alguma Jussara na agenda.

- Que Jussara?

- A Jussara da Colcci, tudo bem?

- Tudo.

- Tô ligando para saber se você já usou a roupa nova.

- Er...já...

- E aímmm? Arrasou?

- ...acho que sim...

- Que tuuuuudo! Era só isso! Beijo!

- ...outro.

Que tipo de Telemarketing é esse??????

Culpem a Flávia!

Eu estou avisando. Ela é um perigo.

Depois de ter me viciado em croissant na chapa e me fazer engordar 4 quilos, a senhora dona Flávia fez o 'favor' de me apresentar o "Hot Dog Tradicional Completo Prensado".

sábado, 28 de outubro de 2006

TIMFA

Fiz um post no Sampaist sobre o TIM Festival.

Com fotinhos e links e tal. Compareçam.

É amanhã!

"Era só uma questão de tempo..."

Eu juro que por um momento, achei que não fosse sobrar nada em pé no StudioSP ontem.

Ludovic ao vivo é sempre uma surpresa. Foi o quarto show que vi, e não gostei de todos. O de ontem, apesar de toda a tensão dos seguranças que acreditavam que o Jair ia realmente se matar no palco, foi o melhor deles.
Mesmo que o lugar não tenha a cara da banda. Ou que o público arrumadinho e perdido tenha ficado sem entender muita coisa. Simplesmente porque, pela primeira vez, eu consegui entender tudo que ele cantava. Palavra por palavra. E as letras do Ludovic dizem muito, mas não para quem ouve pouco. Não acho que seja uma gritaria como dizem, justamente porque a primeira coisa que ouvi na banda foi o que eles tinham a dizer.
E quem ouviu - e LEU - o último Cd "Idioma Morto" entende bem isso. Não sei porque em certos momentos eles me lembram aquelas bandas nacionais do comecinho dos anos 80, quando todas elas ainda eram pesadas e boas. Pode ser viagem, mas aquele refrãozinho com duas vozes de "Qorpo Santo" ("o hino inimigo, inimigo ressoooooooa") prova bem o que eu quero dizer. Com "Unha e Carne", as duas já valem o CD.
Acho engraçado as pessoas saírem assustadas, ou bravas ou chocadas. Dizem que ele exagera, força a barra, blablabla. Ok, talvez ele insista demais nos discursos entre uma música e outra. Mas a verdade é que, eu não consigo parar de olhar para o Jair um segundo sequer. Não pára quieto, não consegue cantar com o pedestal, se joga, se atira, chora, se pendura nas partes frágeis do Studio que não foram feitas para aquilo, enfrenta o segurança tenso, desafio o cara da mesa de som. Mas ele acredita tanto naquilo que canta, que a transformação em monstro é sempre coerente.
"Eu não vou quebrar nada! Eu não vou quebrar nada!". Ele prometia berrando o tempo todo, enquanto voava faísca para todo lado. E não quebrou mesmo. Nem precisava ter se desculpado. De volta ao "Mr Hyde", nem parece a mesma pessoa. Exorcismo prático, e o cara magrinho e quieto, companheiro de trolebus, está de volta.
Esqueci de falar da "Sob o Tapete Vermelho". Linda:
"Saiba que eu lembro bem de cada frase dita.
De casa passo em falso, de cada pequena encenação.
...
Eu quero fugir para onde ninguém me conheça,
retornar à minha vida do ponto onde ela parou
...
Sem seqüelas, sem qualquer problema,
só as marcas de abandono que ardem em tudo
em que você já encostou."

...

quinta-feira, 26 de outubro de 2006

ROCKLOAD - AMANHÃ


Para quem não vai ao Rio amanhã ver Devendra.
Humpft.

* Já ouviu Unha e Carne?

Tudo em Família

Uma overdose de filmes sobre relacionamentos nesses últimos dias. Por mera coincidência. Ou não.

Depois de cada um deles, uma reflexão estranha. Tanta família complicada, tanta confusão de sentimentos, tanto estranhamento.

* Finalmente vi "Pequena Miss Sunshine". Quando entra a introdução de "How it ends" do Devotchka, apresentando todos os personagens do filme (um bando de losers, somente na concepção americana do termo), fodeu. Comecei a chorar ali e não parei mais. Nem na parte clichê e babaca que todo filme americano tem, mas que ali fez muito sentido. Porque quando a gente gosta de um filme faz uma força tão grande para não se decepcionar com ele do meio pro final, que até aceita sentimentalismo barato. Como aquela cena do filme "About a Boy", quando o Hugh Grant sobe ao palco para acompanhar o menino na música "Killing Me Softly". Aliás, os dois filmes têm a Toni Collete linda, que praticamente se especializou na carreira "loser, mas com categoria". Isso é elogio, não é culpa dela. Todos os papéis dela são tristes, marcantes, pesados, difíceis, etc. Adoro. ;-)

* No clima "família-larga-tudo-e-viaja", acabei alugando o argentino deprê, porém de boa intenção "Família Rodante". Apesar do filme devagar quase parando, consegui ver o lado bom daquilo tudo: família não se escolhe, se agüenta. Mesmo. Juro que vi o lado bom disso.

* Mais no clima mulherzinha moderna, "Feminices", do meu diretor de todo o sempre, Domingos de Oliveira. Eu não consigo enjoar daquela cara de whisky dele. Nem do jeito quase Lima Duarte em "eu-quero-melão" que ele tem de falar. Um charme. E vai entender de 'feminice'! Ele entende. Mulher é chata mesmo, ele sabe e gosta. E putz, as quatro mulheres de 40 me fizeram torcer para que eu chegue lá tanto quanto. Seguindo a ordem natural dos acontecimentos, claro, na qual amigos me fizeram acreditar que os 30 são os novos 20, e assim por diante.

* "Thumbsucker", cujo nome não me lembro em português e nem precisa, porque ele faz muito mais sentido em inglês. O menino que chupa dedo, se vira nos debates escolares e tem como guru espiritual o dentista, interpretado por um Keanu Reeves doidão. Mais família caindo aos pedaços, jantares cheios de conflito, trilha sonora moderninha e etc. Dei uma cochilada de leve, mas não achei ruim.

* Vou pular os três episódios piratas de LOST que eu assisti porque isso cortaria totalmente a série 'filmes-famílias-frustradas'.

* Voltando. Para finalizar: "A Lula e a Baleia". O filme até me fez considerar por alguns minutos ir ao show do Roger Waters no ano que vem. Lindo do começo ao final. Triste sem melodrama, só por ser real demais a ponto de envergonhar. E com um ator mirim com o pélvis em fúria mais fofo que já vi.
***** Balanço Final:

---> A moral de tudo isso é que família te leva à loucura. Mas é um mal necessário, mesmo que eu não ache que exista mal necessário.

---> Acho que não precisa explicar. Da pequena 'gordinha' oprimida e sufocada no Miss Sunshine, ao pequeno taradinho do Lula&Baleia: todos queriam impressionar a família, fazer parte integrante dela, superar expectativas, evitar frustrações, esconder uma fraqueza, se adaptar às normas da casa, seguir exemplos distorcidos, esconder sentimentos, adiar planos e sonhos, abafar choro, vencer. Pela e para a família. Zero de individualidade. Sufocante.

---> A moral ainda mais triste é a de que, no final de todos eles, não sobra ninguém ao seu lado, a não ser a... família. Que numa 'mea culpa', abre os braços, acolhe, ajuda e te levanta.

---> Não sei qual final eu prefiro na minha realidade longe de câmeras e trilhas sonoras. Se é um final clichê-fofo americano, ou aquele duro e direto de um filme europeu estranho. Pensando...
---> Ok, Duas vantagens: 1- Hey You!, como canta o mocinho do filme. Agradeço muito pela família aqui. A grama dos outros nem de longe parece mais verde. 2- Campanha anticoncepcional já. Eu desafio o mundo a querer ter filhos depois de uma seqüência dessa.

terça-feira, 24 de outubro de 2006

As Arverez somos Nozes

"O Jardineiro é Jesus, e as árvores somos nós"

Parece fácil. Mas não é.

Quem mandou esse link foi o Lúcio. Por favor vejam / ouçam até o final.



Fofa a mulher toda paciente tentando ajudar nozes.

domingo, 22 de outubro de 2006

Croissant na Chapa - Parte II

--> A Padaria Bella Paulista foi A balada todos os dias dessa semana. Feriado prolongado e daí prolonga com a semana toda, e logo vem uma sensação de que faz 15 dias que estou bebendo cerveja e comendo croissant na chapa.

--> Na sexta-feira, uma turma recém-saída de uma festa à fantasia invadiu a padoca. O Kiko do Chaves estava bem bêbado e passou dos limites.

--> Ontem, ou melhor, hoje de manhã, lá pelas 06:30 am, a padaria estava bombando. Um grupo de pessoas do interior que veio ver a Fórmula 1, e que provavelmente havia passado a noite na companhia das 'belas meninas' extrovertidas da Rua Augusta chegou. Todos de bonezinho vermelho, um Tiozinho de cobertor enrolado no pescoço, aquela gritaria de quem já não ouve mais direito de tanto acompanhar essas corridas sem-graça, um alto grau de alcoolismo ali latente, e uma certa felicidade descarada da pequena excursão de senhores que deixara as mulheres em casa para uma festa toda masculina na cidade grande.

--> Tirando uma festinha de Firrrma que rolava na mesa ao lado, com bolo de aniversário e tudo mais, nada foi tão surreal quanto o casal sado-masoquista que chegou junto com nosso café-com-leite-tamanho-médio.

--> Ele, cara de administrador-de-empresas que não cata mulher há 12 anos. Meio gordinho, camisa xadrez enfiada na calça justa. Ar de nerd de firma, mas daqueles que se um dia vira psicopata, ninguém estranha. Ele seria absolutamente normal se não fosse o chicote de couro marrom que ele tinha pendurado na cintura.

--> Seria mais normal ainda, se ele não trouxesse na coleira de prata uma mulher acorrentada pelo pescoço.

--> Ela, tinha a cara da Madonna naquele filme "Procura-se Susan Desesperadamente" (veja foto). Estava sem sapatos e com os pés pretos de sujeira. Correntes nos tornozelos e nos punhos.

--> As costas estavam detonadas de marcas de chicotada. Ainda bem vermelhas, provavelmente feitas há exatos 2 minutos pelo admnistrador com cara de pai de família.

--> Pena que o gordinho estava com camisa e eu não pude verificar se havia chicotadas na barriga flácida. Ou marcas de salto alto nas costas. Medo do pessoal da firma, medo.

* Alívio *

E agora que o TIM foi pro TOM, não dá para não ir, certo?

quarta-feira, 18 de outubro de 2006

Indie, néam?

* Eu nem curto futebol. Aliás, passo longe.

* Mas ver o filme-tributo ao Zidane com trilha sonora do Mogwai não exige tanto sacrifício. Não?



---> A direção é do Escocês (claaaro) Graham Finlay.

terça-feira, 17 de outubro de 2006

Xico é Nêgo Sangue Bom

----> Olha só. Pausa pra merchan.

* Eu esqueci de comentar que o Sampaist xodó foi citado na Businessweek e que eu não consigo achar o link agora. UPDATE: Link Businessweek.

* E que o Querido Leitor também recomendou a gente mais uma vez.

* E o Nêgo, companheiro de shows de Wander Wildner e de pistas de azulejo, o jornalista Xico Sá, recomenda (muy phino) o site em seu blog com esse textinho que só ele sabe fazer:

"E lá vamos nós aproveitar a cidade dos sonhos semi-deserta, "se liga", como dizem os boys e manos, se liga nas dicas do Sampaist, o site de uma moçada que flana, à vera, pelo melhor da cidade, e "te juega, cabrón, en la calle", como me diz aqui o sábio vizinho espanhol, bravo Pedro Caballero, o rei do Sujinho, onde se come a melhor e mais farta bisteca da cidade, aqui na geografia afetiva das ruas-mulheres, Angélica, Augusta e Consolação, como canta Tom Zé, um dos tantos orgulhosos baianos, aquele mesmo que canta o hino extra-oficial destas plagas, "São São Paulo, São Paulo tanta dor, São Paulo meu amor".



[ a-do-rei ]

segunda-feira, 16 de outubro de 2006

Força na Bolacha!

* Para quem não se desfaz daqueles vinis empoeirados *

* tem gente ganhando grana vendendo vinil de MPB no ebay. O povo paga e bem. Juro.

* se liga nesse site que traz depoimentos em vídeo de indies (tipo Walkmen) e freak-folks (tipo o Devendra, claro) mostrando suas coleções de vinis inesquecíveis.

* o louco cara-pintada (ele parece o Mel Gibson em Coração Valente) do Devendra recomenda 3 discos de Caê. É.



[ save the album ]

sexta-feira, 13 de outubro de 2006

terça-feira, 10 de outubro de 2006

A Festa é minha e eu posto o que eu quiser

"Postar" é um verbo muito interessante.

Essa é para jogar longe a versão do ano passado que foi "It's My Party and I Cry If I want To".


Criador x Criatura: "String Bean Jean". Oui, oui.




* Esse vídeo é fofo porque uns caras na platéia (um mais empolgado que o resto) começam a berrar "String Bean Jean!!!!" enlouquecidamente, até que eles decidem tocar a música. A Bean Jean só entra mesmo no 01:30 do vídeo. Tenham paciência com os sebastianos, eles nunca tocam essa e foi bem difícil lembrar a letra.

* No final, eles ainda perguntam se a verdadeira SBJ está ali, porque uma menina muito parecida com ela está na platéia.

* Cuti, cuti. Porque indie que é indie, "não vive sem seus discos do Belle & Sebastian".

Riiiiitmô! É ritmô de festa!

Agenda muito importante:

* dia 11, véspera de feriado: festa Fase II do meu aniversário no StudioSP.
Não precisa ter passado pela Fase I. Tem show do Jumbo Elektro, que é sempre divertido. E então, discotecagem do Tatá.
O convitinho chique aí acima foi feito pela Camis, que também vai comemorar seu aniversário lá. Vê-se que é libriana E talentosa. ;-)

* E nesse mesmo dia 11, é dia de "Gente Bonita em Clima de Paquera com Presença de Famosos", dos amigos Kalatalo e Matiaix. Você tem uma grande chance de conseguir dar uma desfilada entre os famosos da FAAP e daí correr para o Studio me dar um presentinho ou algo assim. O show do Jumbo começa a 1 da manhã, mas pode chegar mais tarde porque tem discotecagem do Tatá bombando até a hora de comer croissant na chapa na Bella Paulista. Só tem que lembrar que a lista de descontro vale até uma da manhã, sem choro.

* Tanta coisa que parece aqueles comerciais 1406. Mas não ligue agora! Você ainda leva no dia 13 o Huuuuurtmold. Lá mesmo. Alguém perde show do Hurtmold? Depois do show, esquenta de sábado com o .guabis.

* Muito pique porque o feriado ainda tem Milo no sábado (mas só pra quem conseguir vencer a fila!) e margarita no Exquisito no domingo.

* E tá bom assim. Também não quero começar os 31 aparentando 47.

24h + 5 e meia

* sem tempo de ir até o salão fazer a chapinha de chocolate indicada pela Frávia e que ganhei de presente de aniversario da Pri.

* sem tempo de ligar para uma amiga e agradecer um presente especial.

* sem tempo de ir até o correio - que é na esquina de casa - e enviar um cartão-postal para a avozinha do Matt.

* sem tempo de olhar no espelho e tirar aquele borrão preto dos olhos.

Aniversário Virtual

agora vai.

fiz 31 anos, hein? Três.ponto.Um.

sem bochecha de bulldog - quase - e sem os 350 parabéns virtuais do orkut.

sexta-feira, 29 de setembro de 2006

Final de semana do barulho

Olhem a quantidade de coisa que tem para fazer nesse final de semana!!!

Já estou cansada. Fui.

A minha listinha "piores momentos do VMB" está quase pronta.

Só quero adiantar que ninguém merece ficar encarando as coxas da Penélope Bon-Jovi Nova.

terça-feira, 26 de setembro de 2006

BatMacumbaiéié, BatMacumbaobá!

Aquela banda americana hipponga-indie-feliz, o Of Montreal, cantou Mutantes em um show nessa semana.

A música ajuda, claro, porque na "BatMacumba" vale tudo. Eu tinha minha própria letra para essa música quando eu era criança e funcionava que era uma beleza.

Mas a festa ficou interessante, foi uma comoção e tanto! Parece aquelas cenas de comuna alternativa em volta da fogueira. Fiquem de olho no figurino do vocalista. O vídeo é do YouTube do You Ain't No Picasso:



No MySpace da banda dá para ouvir quatro musiquinhas de balançar a cabeça batendo palma. Vai lá. Eu gosto da segunda, "Wraith pinned to the mist and Other Games" que dá até pra tocar em pista. Ela também tem um vídeo bem psicodélico. Esses hippies. :-)

segunda-feira, 25 de setembro de 2006

A Campanha "Cadê o Jordan Catalano?" continua...

Juro que não estou pegando no pé do Jared Leto.

Nem comentei aqui o fato de ele querer que todos os bloggers morram.

Mas essa entrevista que ele deu antes de um show na Califórnia tira qualquer um do sério.

Com as unhas (grandes) pintadas de dourado ( ? ), ele mal consegue mexer na franja. Ainda acho que são unhas postiças, confirmem por favor.

Chapéu gothz, olhos borrados de carvão, como sempre, e um jeitinho todo doce de mostrar o esmalte. O papo chaaato, que quase faz o entrevistador dormir, a gente pula.

Para provar que realmente não estou sacrificando o Jordan, nem postei a foto dele gordo fazendo papel de Mark Chapman, o assassino de John Lennon.

Ele teve que engordar horrores para fazer O gordo pinel atormentado. Aquela coisa de se jogar no papel, etc.

E outra coisa que salva, é que ficou bem caracterizado mesmo. Quase estereotipado até, se houvesse um estereótipo "estilo Mark Chapman de ser".

Reparem no disco que está em uma mão e naquele livro que está na outra...

Se não fosse uma foto oficial do filme, daria para fazer uma charada-nerd-pop: "adivinhe que personagem da história da música é esse".

E as bochechas de Kiko do Chaves SÃO reais!

Agora, vejam bem, já vimos o Leto na fase galã, na fase "socorro virei EMO", em um de dia de bad-hair-day e agora assim: gordo bochechudo x dama da noite com unhas douradas.

Eu prefiro o gordo. E aposto que a Ângela também.

domingo, 24 de setembro de 2006

Eu.Coração.Devotchka.

Devotchka - The Last Beat of My Heart (live)


Lindo. Só tem um pedacinho porque o dono do vídeo não permite colocar aqui, mas para ver a versão completa, é só entrar na página dele.
Li em algum blog gringo qualquer que essa é a versão que o Arcade Fire sempre quis fazer e nunca conseguiu. Não sei. Talvez fizessem até melhor, mas não fizeram antes.

"Last Beat of My Heart", todo mundo sabe, é do Siouxsie and The Banshees.

Tem que ficar de olho no MySpace do Devotchka porque eles sempre colocam alguma coisa nova para baixar!
Alguém já conseguiu o disco todo?

sábado, 23 de setembro de 2006

Croissant na Chapa

* Considerações sobre um sábado perdido devido à ressaca de sexta.
--> eu era 3 kilos mais magra antes de conhecer o "Croissant na Chapa" da padaria-fina "Bella Paulista", apresentado a mim pela Flávia Durante.
--> as pessoas nas baladas da Vila Madalena são bem bizarras. O termo "pintulante" foi inventado por lá, enquanto uma banda cover de David Bowie fazia cover da pior fase do David Bowie. E os fãs, na sua maioria de cabelos brancos e rabinhos de cavalo se jogavam na cantada em cima das meninas mais novas. Uma pintulância constrangedora.
--> sexta foi a noite em que Wander cantou com sapato branco tipo os que meu pai usava no consultório. E foi quando Xico Sá decidiu, em momento emocionado e suado, que o título do seu novo livro será... Registrado na cabeça caso ele venha a esquecer.
--> sexta foi o dia em que vi um salva-vidas negão e cheio de estilo sentado naquela cadeirinha alta de praia, bem no meio da Paulista. Era uma propaganda política.
--> aquela menina modelo que tentou ser atriz na última novela (já disse que não decoro nomes, tenho problemas), Letícia alguma coisa, sabem? Ela é ex-namorada do cara que catou a Daniela Cicarelli na praia. Anfan, ela está totalmente pelada em fotos para uma campanha cafonérrima da ELLUS. Umas fotos imensas espalhadas pela cidade de um casal em uma praia. Ele veste só uma calça jeans, e ela não veste coisa alguma, para vender roupa. Simples assim, muito inovador. E ainda acham que o vídeo da Cicarelli fazendo carão entre algas e beijos é assim, "um atentado ao pudor". Atentado é você ter que encarar a bunda da modelo vesga em pleno congestionamento na Faria Lima.
--> será que a Daniela Winnits sabe que não está encenando numa arena? Essa mania de teatro de berrar como se toda a platéia fosse surda cansa. E ela está numa novela, pensa.
--> tocou "Bodysnatchers" do disco solo do Thom Yorke ontem na padaria, enquanto eu comprava 5 pães. Era Rádio Eldorado, perguntei.
--> "Quem diria que eu viria a um restaurante mexicano tomar uma tequila e sairia daqui com uma banda?" / piada interna. Tica! A melhor parte das saídas são esses acontecimentos inesperados.

quinta-feira, 21 de setembro de 2006

quarta-feira, 20 de setembro de 2006

terça-feira, 19 de setembro de 2006

"A Dança do Coice"

Achei no YouTube, um exemplo da "Dança do Coice".

Essa dança foi inventada pelo Peter Hook, fez história no Motomix e promete causar.

Para você não ser obrigado a ver mais de 5 min de vídeo, fiz uma seleção "Melhores Momentos".

* Para ver a "Dança do Coice" em si, pule para 02:02 min. Ele dá tipo 4 coices seguidos.

* Para ver Hook na "Dança da Boquinha da Garrafa", pule para 02:20.

* No momento 02:37 o Coice volta com tudo!
* Prossiga até 03:07 para ver a pose "Cristo Redentor" e o passo "Socos no ar".

* Uma aeróbica e tanto.