domingo, 5 de julho de 2009

Beber, Jogar e... Fuck.

*Juro que não tinha visto ainda! Passeando pela Livraria Cultura do Conjunto Nacional, eu vi de longe essa capinha da direita. Até achei que fosse uma edição gringa de "Comer, Rezar e Amar" (sou bem míope), mas não era.

* Joguei no Google logo que cheguei em casa e percebi que realmente estou bem atrasada em relação aos lançamentos literários.

* Nunca tinha ouvido falar no livro "Drink, Play, Fuck F@#K", uma paródia bem humorada (e merecida) do livro de auto-ajuda-chic-para-meninas "Comer, Rezar e Amar"

* O original (e não-ficção), escrito por Elizabeth Gilbert, conta a história de uma mulher que acaba de passar por um divórcio traumático e decide investir em uma viagem de auto-conhecimento pelo mundo. Já devidamente bancada por uma editora, claro. E assim ela busca conforto gastronômico na Itália, conforto espiritual na Índia e last but not least, um casinho tórrido na Indonésia para um conforto no amor. 


* Esse livro vem enfeitando a minha estante há meses. Minha mãe acha que ele tem a minha cara, minha irmã acha que eu não vou gostar, mas que "tenho que ler". Tentei e, como não gosto de parar livro pela metade, pro-me-to terminar! Não sei se é culpa da tradução, mas estou achando o texto fraquinho demais! Tive que pular um capítulo inteiro no qual ela conversa com o diário (e ele respondia) porque me deu vergonha. Bem, preciso terminar antes de opinar. E se eu gostar, admito o erro.

* Chic-Lit x Dude-Lit: A versão quase "Judd Apatow" do livro foi escrita pelo comediante, roteirista e produtor Andrew Gottlieb, foi lançada em janeiro e pelo que chequei no Google, já teve seus direitos comprados pela Warner.

* "Comer Rezar Amar", já sabemos, terá Julia Roberts no papel principal. Medo. A versão macho terá (boatos, hein!!!) Steve Carell, o Michael Scott do The Office! 

* Só por causa desse boato eu já estou ficando do lado da paródia. E também porque o sub-título da versão mulherzinha - "Seja também a heroína da tua própria história" - me irrita profundamente.

* Na ficção de Gottlieb, um homem que também passa por um divórcio traumático, procura conforto alcóolico na Irlanda, se joga (*trocadilho não intencional) numa jogatina imprudente em Las Vegas e se encanta com o turismo sexual da Tailândia. 

* Releia a história de um e a do outro. Qual você prefere?

ps: nas viagens pelo Google achei uma resenha no YouTube que PRECISO compartilhar. Ignorem o sotaque irritante e se liguem no make e no estilo da lady. Ela me convence:

6 comentários:

Amábile disse...

Sabe? Li o livro e recomendei a muita gente. Gostei. Acho que você é muito crítica, não?

Anônimo disse...

Uau,você está lendo! Quero saber a opinião final.

Luis Felipe disse...

Liz não falava com seu diário no livro,seria interessante que vc fizesse um curso de interpretação!

Luis Felipe disse...

Todos os críticos mais ou menos respeitados acenaram positivamante para "Comer..." e classificaram "Jogar..." como péssima leitura!

Artur disse...

Luiz Felipe, quais críticos são esses?

Simplismente dizer que os críticos "respeitados" preferem "Comer, Rezar,Amar" não quer dizer nada.

Quais são as suas fontes pra afirmar isso? Ou é apenas achismo? (como a maioria das pessoas na net adora fazer...)

Pedro S. disse...

O sotaque da lady nem é irritante..