domingo, 18 de março de 2007

String Quartet: Quarteto de Cordas Indie

O String Quartet Tribute tem um nome que já diz tudo: um quarteto de cordas que faz tributos.

Muito e$perto$ comercialmente, já fizeram tantos tributos que não dá para numerar aqui. Seguindo o link acima, do wikipedia, você vê a lista imensa da discografia do grupo. Eles só não são tão bregas quanto a Família Lima porque escolhem bem quem homenagear.

Há deslizes, como os tributos à Celine Dion, Jessica Simpson e Mariah Carey, mas a grande maioria dos cds são dedicados ao rock. Imagina a Família Lima fazendo cover de Bright Eyes, Mars Volta e Nirvana? Também tem espaço para a galera Emo; para os clássicos do Led Zepellin, Pink Floyd e Rush; e para o metal farofa do Bon Jovi.

No lado mais "alternativo" da música, nada mal. Já ganharam seus tributos eruditos: o Queens of the Stone Age, Joy Division, Beach Boys, Snow Patrol, REM, Flaming Lips, White Stripes, Weezer, The Cure, etc.

Normalmente eles não são muito criativos, e fazem só uma versão instrumental das músicas. Acaba sendo enjoativo ouvir tudo de uma vez, mas para algumas bandas funciona bem. Eu adoro a versão-cordas de "No Surprises" do Radiohead, por exemplo.

Na semana passada, eles lançaram no mesmo dia em que "Neon Bible" foi para as lojas, o Tributo Arcade Fire (foto).

Como as músicas do A.F. já são cheias de cordas, o impacto instrumental não é tão grande. Mas você fica esperando a voz do Butler entrar e ela não chega nunca. Sem a voz dele, as músicas tomam outro sentido e viram uma orquestra melancólica. Lindo.

** As melhores faixas são Neighbourhood #1 (Tunnels) (clique para download) e Rebellion (Lies).

Dá para comprar o cd e ouvir todas aqui.

2 comentários:

Bruno Oliveira disse...

Já tava pensando em escrever sobre esse lançamento do ‘The String Quartet’ com as músicas do Arcade Fire. Crê?

Gosto dos álbuns deles. Tenho dos Beatles, Cure, Radiohead, Beach Boys, Killers, até da Beyoncé hihihi. Mas meu preferido é o com as canções dos Smiths. Muito Lindo!

Bean disse...

Oi Bruno! Poxa, eu me esqueci dos Smiths. Indie que é indie NUNCA se esquece dos Smiths. Coitado do Morrissey aqui ao lado...
=)